Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



(157)

06.07.16

"- Sabe, a liberdade é um conceito interessante. Conheci um tipo que era trader em Wall Street, o género de golden boy que tem muito dinheiro e a quem a vida sorri: um dia, quis ser um homem livre. Viu na televisão uma reportagem sobre o Alasca que teve sobre ele o efeito de um choque. Decidiu que passaria a ser caçador, livre e feliz e viveria do ar puro. Abandonou tudo e partiu para o Sul do Alasca, para o Wrangler. Pois bem, imagine que o tipo, que sempre vencera na vida, venceu mais uma vez: tornou-se um homem livre. Nenhuma ligação, sem família, sem casa: apenas alguns cães e uma tenta. Foi o único homem verdadeiramente livre que conheci.

- Foi?

- Foi. O imbecil foi muito livre durante três meses, de Junho a Outubro. E depois, quando chegou o Inverno, acabou por morrer de frio, depois de comer os cães, já em desespero. Ninguém é livre, Goldman, nem os caçadores do Alasca. Sobretudo na América, onde os bons americanos dependem do sistema, os inúteis dependem da ajuda do governo e do álcool e os índios são livres mas estão circunscritos a jardins zoológicos de seres humanos, aos quais chamamos reservas, onde estão condenados a repetir a lamentável e sempiterna dança da chuva em frente a um amontoado de turistas. Ninguém é livre, meu caro. Somos prisioneiros dos outros e de nós próprios."

 

A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, Joël Dicker, p. 407

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03


Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


Posts mais comentados